quinta-feira, 2 de julho de 2009

Como melhorar o som do seu violino?

Me lembro do meu primeiro violino, de como as cordas A e E soavam como um pernelongo gripado e minha maior dúvida era se o problema era o violino ou eu. Com o tempo descobri que o problema não era eu, e sim o violino! Claro que com o estudo o som que eu tirava do instrumento melhorava gradativamente, mas aquele timbre estridente continuava me perturbando (e os vizinhos também!). Então comecei a pesquisar e a perguntar para outros colegas o que seria possível fazer. Percebi que muitos violinistas mais experientes (e muitos deles esnóbes), diziam que só comprando um violino de no mínimo alguns mils reais para o problema ser resolvido. Mas também via outros estudantes tirando belos sons de violinos relativamente baratos. Resumindo, li um artigo de um famoso luthier dizendo que um bom timbre vem de 3 coisas: 1/3 qualidade das madeiras, 1/3 qualidade da construção do violino e 1/3 do setup.
Se você não pode mudar os 2/3 iniciais, então só resta mexer no último 1/3, o setup! Setup envolve cordas, cavalete, regulagens de pestana, alma, etc. Primeiro tenha certeza que seu instrumento está bem regulado, se não souber como faze lo, leve a um luthier. Depois troque as cordas! Cordas baratas, principalmente aquelas já instaladas no violino ao compra lo, são horríveis (no caso dos violinos mais baratos, na maioria chineses). Troque por cordas melhores, não são baratas, mas melhora muito o timbre! A Pirastro faz cordas desde mais baratas até super caras, é uma ótima escolha. Existe ainda a D´Adario que também tem um ótimo custo benefício, e das nacionais a Mauro Calixto é muito indicada por professores, cordas da Plander (só encontradas na loja que leva o mesmo nome), tem perlon e prata em sua composição e um preço bem interessante!
Após providenciar os ajustes necessários e cordas de qualidade, você ainda pode trocar o cavalete, unica marca que conheço efetivamente, é a Aubert, que faz cavaletes de muito boa qualidade e preços muito bons, isso ajudará também no timbre. A troca de outras partes, como estandarte e cravelhas por outras em ébano ou madeiras de qualidade creio que não compense muito, pois o investimento começaria a sair um pouco alto, melhor economizar para a compra do próximo violino!
Tudo influência em um bom timbre, dizem que até a marca do breu conta! Claro que se todo o seu conjunto for bom, o timbre será bom, se todo seu conjunto for do mais barato... o som que sairá do seu violino você sabe como é...

6 comentários:

  1. valeu pelas dicas foram interessantes e de valor

    ResponderExcluir
  2. Eu comprei um afinador da wittner por 216 reais que faz o papel de afinador e microafinado pois não prescisa fazer muita força para afinar e com isso retirei os microafinadores (Metais no violino dizem que piora o timbre) e melhorou bem o som dele.
    Outra coisa é a corda mesmo, usei a calixto e é muito bom, a tomastik tem cordas que tem a melhor estabilidade eu recomendo também, só que a dominant que é a corda mais barata está custando uns 100 vai depender do seu dinheiro. Valeu pelas dicas, uma pergunta é verdade que o peso influi no instrumento, pois agora vou trocar meu standart e queixeira do violino feitos de madeira por outro feito de composite que é um material mais leve que os de fibra de carbono (parece que é) e estou na dúvida se fiz uma boa coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atenção musicos, se libertem desses tipos de afinadores, usem só o afinador garfo!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho um tratamento quimico particular que faço em qualquer cavalete e depois aplico o tratamento quimico dos luthieres para esconder meu serviço e completá-lo e ponho cordas austriacas e o ultimo ponto: a vilã alma: Uso um cipó secreto particular meu, ou uma madeira que só vou dizer que gosto viajar bem longe e de pega-la em área de muito minerio de ferro que atrai raios e se torna líder mundial de raios e como o trovão é consequência disso, logo, o estrondo vai abrindo as células da madeira para o som invadir, e o resultado é assustador, o violino realça sua cor de som e a potência fica muiiito protuberante amplificando de seis a dez vezes. Fui num luthier e ele me apresentou um violino frances antigo que cheirava o móvel velho da máquina de costura da vovó e me pedia doze mil reais nele alegando se tratar de um aparelho escandalosamente bom. Não sei se é porque as 12 harmonizações que já fiz em doze violinos cobaias, foram algo inigualável, mas achei o tal violino francês anêmico demais e como se eu tivesse tocando um violinico 1/4 kkkkkkkk. Hoje tocos muitos violinos ditos bons e acho todos fracos e parecendo cheios de óleo por dentro até entornar kkkkkkk... e não pagaria nem um real neles... Graças a Deus kkkkkk.

    ResponderExcluir